Entenda o que é e como realizar a antecipação de recebíveis

A antecipação de recebíveis é uma alternativa para se obter recursos a um custo mínimo e risco reduzido. Ainda que seja uma operação de crédito, nela a empresa pode oferecer mais garantias do que se fosse contratar um empréstimo nos moldes convencionais.

Seja como for, ela sempre será uma forma de captação de dinheiro de terceiros. Isso significa que, para cada transação, você precisará considerar os custos envolvidos, calculá-los e fazer a devida previsão em seu orçamento.

Logo, para utilizá-la bem, é necessário um controle rigoroso das finanças para que venha a ser de fato uma solução. Prossiga na leitura e saiba como colocar mais essa modalidade de crédito empresarial a favor dos negócios.

O que é antecipação de recebíveis?

Sua empresa vende a crédito? Se sim, então você deve saber que os recursos dessas vendas não são creditados em seu caixa imediatamente. Acontece que o mundo gira e seu capital também, já que manter um negócio ativo tem custos.

Eles, por sua vez, podem se apresentar de maneiras inesperadas. Nesse caso, uma conta que chega em valores acima da média ou uma nova oportunidade de negócios demandando investimentos podem representar um desfalque nas contas.

Empréstimos, como se sabe, geram um custo bastante considerável, isso se tomarmos como referência apenas as taxas de juros. Claro que há empresas que praticam taxas atraentes, mas, no geral, essa é uma alternativa que costuma sair caro.

Porém, e se aquelas vendas a prazo destacadas logo no início deste tópico fossem, de certa forma, usadas como garantia para conseguir recursos quando o orçamento não dá conta? A resposta para essa pergunta é a operação conhecida como antecipação de recebíveis. Nela, os valores que sua empresa tem a receber são tomados pela instituição financeira como margem, garantindo assim uma espécie de adiantamento.

Cabe frisar que a antecipação de recebíveis é um tipo de operação regulada pelo Banco Central, nos termos da Resolução nº 4.734/19. Nela, estão dispostas regras, procedimentos e condições para a realização de operações com recebíveis integrantes do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

Qual o momento ideal para recorrer à antecipação de recebíveis?

Por ser uma operação creditícia, a antecipação de recebíveis deve ser apreciada com moderação. Isso porque ela não difere de um empréstimo comum no que diz respeito ao temido risco de inadimplência. Se isso acontece, é sua empresa que fica em maus lençóis perante o banco ou empresa a quem pediu crédito. Por isso, é fundamental ter um bom plano de ação para cobrança.

Esse recurso só deve ser utilizado em circunstâncias que sejam realmente excepcionais. No exemplo da oportunidade de negócios citada no tópico anterior, imagine que seja um pedido de uma encomenda acima de suas atuais capacidades. Seu estoque está esgotado e o caixa de sua empresa não dispõe de recursos suficientes para dar conta dessa nova solicitação.

Por outro lado, sua empresa já está pagando um empréstimo recentemente contratado e, por isso, não dispõe de linhas de crédito abertas, pelo menos não de forma rápida. Essa é uma situação na qual a antecipação de recebíveis representaria uma solução ágil, já que, em algumas instituições, ela pode ser concluída em até 24 horas.

Desse modo, sua empresa não perde uma chance de fazer novos negócios e se arrisca menos, pois os recebíveis são, em teoria, garantidos. Nesse ponto, uma atitude fundamental é fazer uma boa Provisão de Devedores Duvidosos (PDD) para entender quais são os níveis de risco.

Quais as diferenças para o empréstimo empresarial?

Não são apenas nas taxas e juros que a antecipação de recebíveis se diferencia do empréstimo tradicional. Na verdade, embora seja uma forma de obter crédito praticada por bancos, existem ainda outros dois tipos de empresa que trabalham com essa modalidade.

Uma dela é a factoring, cuja diferença em relação aos bancos comuns é ser dedicada exclusivamente à antecipação de recebíveis. Geralmente, nessas empresas, a aprovação é mais rápida, embora isso tenha como custo tarifas mais salgadas e juros maiores.

A terceira alternativa é o Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). Embora também trabalhe exclusivamente com recebíveis, se diferencia das factorings por ter como core business a gestão de ativos financeiros. Ou seja, o dinheiro captado no mercado não é destinado apenas para oferecer crédito, mas como aplicação que objetiva render juros e dividendos.

Sobre os FIDCs, cabe destacar que operam com taxas mais atraentes e são menos burocráticos que os bancos. Outro fator significativo é que sobre suas operações não incide o Imposto sobre Operação Financeira (IOF).

Que cuidados tomar em relação ao orçamento?

Toda oferta de crédito traz consigo um certo risco, que, para a credora, é a inadimplência. Para quem toma dinheiro emprestado, esse risco vem a ser o aumento da dependência de financiamento externo. Isso porque um empréstimo ou antecipação tomada sem o devido controle significará um custo extra. Logo, o dinheiro para honrar os compromissos de sempre vai faltar cedo ou tarde.

Dessa maneira, a antecipação tem que ser cuidadosamente incluída em seu planejamento antes de ser feita para que não venha a se tornar um mecanismo recorrente. Afinal, vendas a prazo serão sempre uma possibilidade de crédito, até porque 79% dos brasileiros prefere comprar por essa via.

Considerando a facilidade em obter dinheiro pela antecipação, é preciso tomar muito cuidado para não cair no “canto da sereia”. Afinal, crédito tomado sem planejamento, em vez de solução, com o tempo acaba virando problema.

Como fazer a antecipação de recebíveis?

O primeiro passo é escolher a instituição na qual o crédito será solicitado. Naturalmente, os bancos têm preferência porque já existe um relacionamento, mas, nesse caso, o melhor mesmo é pesquisar antes de decidir. Afinal, como você já sabe, existem as factorings e os FIDCs, os quais são menos burocráticos e, no caso dos fundos, com taxas muito mais atraentes.

Fique atento ainda ao tipo de antecipação oferecida. Normalmente, bancos e empresas de factoring trabalham com duplicatas, cheques ou cartões de crédito. Em alguns, há também a possibilidade de antecipação a fornecedores.

Decidido onde a operação será feita, será a vez de incluir as despesas no orçamento, o que, no caso dos recebíveis, acontece no ato em que o adiantamento é feito. Em alguns casos, o pagamento junto à empresa que antecipa é automático, como acontece com os pagamentos em cartão. Em outras, acontece quando o cliente paga a parcela devida em cheque ou duplicata.

Ficou claro para você como funciona a antecipação de recebíveis? Lembre-se de que ela deve ser utilizada em momentos especiais e jamais ser uma operação recorrente. Assim, seu fluxo de caixa fica sempre no azul e seu capital de giro se mantém estável.

Fique por dentro de temas de interesse nas áreas financeira e de cobrança. Assine nossa newsletter e receba conteúdos úteis totalmente de graça.



Deixe uma resposta