Negocie aqui

Whatsapp Whatsapp E-mail E-mail Ligue Ligue 0800 721 6001 Negocie online Negocie online 2ª via de boletos 2ª via de boletos

Fluxo de Caixa: práticas para melhorar a saúde financeira do seu negócio


Fluxo de Caixa: práticas para melhorar a saúde financeira do seu negócio

A gestão financeira estratégica passa pela gestão do fluxo de caixa e é indispensável para a tomada de decisão tanto de curto como de longo prazo, além da avaliação da saúde financeira do negócio. Os anos de 2020 e 2021 provocaram uma reinvenção nas empresas em muitos quesitos, desde o pequeno até o grande empresário, e o financeiro de uma organização não é diferente, ele tem necessitado se reinventar durante o período de pandemia e o fluxo de caixa tem sido muito importante para o cenário atual.

Desafios fluxo de caixa

Para iniciar o bate-papo durante o Webinar Fluxo de Caixa: práticas para melhorar a saúde financeira do seu negócio, a gestora de Finanças e Controladoria da Global Estratégias Financeiras, Mirian Cidral, convidou o Gestor Financeiro da Osklen, Mauricio Lopes para comentar quais têm sido os desafios enfrentados com relação ao fluxo de caixa e como a Osklen está se adaptando, considerando os impactos causados pela pandemia, para buscar a perenidade da empresa.

“Esse período de pandemia tem sido um desafio, já faz quase dois anos, mas temos conseguido manter o fluxo de caixa saudável e positivo”. Mauricio comentou que seguem um plano anual, porém destacou que ele é reconstruído a cada mês de acordo com a situação do Rio de Janeiro, cidade onde a Osklen tem sua sede. Destacou ainda os principais pontos observados no fluxo de caixa durante esse período: “Melhorar a gestão do capital de giro, estar alinhado com nossos  fornecedores, nossos recebimentos, também temos feito um trabalho forte com relação à inadimplência para não alavancar os índices, onde a Global tem sido nossa parceira.”  

Foram realizadas várias ações por parte da Osklen para manter o fluxo de caixa, capital de giro e ciclo financeiro equilibrados. Pensando em toda a cadeia econômica em que a marca está inserida foram criadas alternativas de venda, com um e-commerce estruturado e estabilizado, prazos flexibilizados para os canais de vendas, campanhas com as multimarcas, renegociações com fornecedores, incluindo operação de bancos, e ações para evitar o crescimento da inadimplência. “É um quebra-cabeças que a gente vai encaixando as peças e no final o tabuleiro está com todas encaixadas e reunidas para continuar firme no negócio”.

Decisões que deram certo e equivocadas na tomada de crédito

Jarbas Nei Maçaneiro é Diretor da Belsouth Gestão e Participações e atuou durante 40 anos em instituições financeiras, ele comentou o tema. “Acompanhando muitos balanços constatei uma série de decisões equivocadas, muitas delas na hora de se fazer investimento, na ânsia de aumentar as vendas ou um novo cliente a empresa necessitava comprar máquinas ou fazer alguma ação mais significativa, são valores geralmente consideráveis e na ansiedade de fazer o negócio rápido e gerar mais caixa, acabavam não tomando a fonte de financiamento adequada.”

Sobre a realização de investimentos, Jarbas recomenda que as empresas não utilizem dinheiro de curto prazo ou do capital de giro, mesmo tendo recursos para o capital. O ideal é gastar bastante tempo no planejamento e na busca de uma fonte adequada que seja de longo prazo e que não comprometa o capital de giro, “Muitas vezes o que era uma grande oportunidade vira um pesadelo, todo investimento tem um prazo de maturação e nem sempre o retorno ocorre no tempo esperado”. 

Outro ponto de atenção são as empresas que concentram vendas em um grande cliente, já que organizações que compram em grandes volumes acabam tendo acesso a preços mais competitivos, resultando em redução de margens e com o tempo se transformando numa grande armadilha. Jarbas trouxe um exemplo de boa prática com relação a questão de vendas, “Eu convivi com uma empresa que tinha 30% da venda concentrada em um cliente, o que exigia muita atenção da equipe. Num determinado momento a organização decidiu romper com esse cliente, isso teve um impacto muito grande mas ao longo do tempo se mostrou a decisão mais sábia, porque ela rompeu com esse cliente que demandava muito tempo e atenção da fábrica e direcionou aquele esforço de produção para clientes menores. Como resultado ela descobriu que esses clientes menores proporcionaram maiores margens e não exigiam tanto da linha de produção, é uma decisão difícil reduzir venda no primeiro momento, mas foi a decisão que permitiu a empresa crescer de uma maneira exponencial.”

No dia a dia as equipes e gestores necessitam cumprir suas responsabilidades, gerar vendas, papel, cumprir responsabilidades com o banco, nesses casos também é interessante a visão de alguém de fora. “Há casos em que a mudança de pensamento veio com alguém de fora, que faz um olhar crítico sem estar tão envolvido com o processo”, complementou Jarbas.

Estratégias e boas práticas para manter a saúde financeira

Na Osklen uma grande ideia que vem se mostrando assertiva, buscar a melhor estratégia para tratar cada canal de venda. Por trabalharem com franquias, multimarcas, lojas e ecommerce estabeleceram diferentes prazos, prolongaram alguns prazos e mantiveram os franqueados abastecidos com produtos além de realizarem campanhas com descontos e redução de margem para as multimarcas, visando receber em dia, “São estratégias usadas em relação a prazo que vem dando super certo, um alinhamento da companhia que refletiu saudavelmente no caixa, conseguimos trazer dinheiro pra dentro de casa com custo mais barato que banco”, reforçou Mauricio .

Mauricio também comentou sobre uma das formas como a terceirização do contas a receber ajuda na redução do prazo de recebimento, citando empresas que realizam disparo automático, enfatizando a ideia de que planejamento e estratégias específicas como as ações preventivas, podem auxiliar na redução do prazo e potencializar as chances de recebimento.

Projeções de longo prazo em tempos de pandemia

O fluxo de caixa é importante aliado para projetar a longo prazo, questionado sobre como manter essa projeção em um período de instabilidades Mauricio comentou que seguem o planejamento anual na Osklen mas ele é revisto a cada seis meses, também dispõem de um comitê de gestão de crise que avalia a situação mensalmente, levando em conta as diferentes praças com horário de atendimento e de funcionamento diferentes. “Nesses dois últimos anos temos conseguido acompanhar o que a companhia espera no plano anual, temos vivido em uma roda gigante devido às questões econômicas, políticas e a grande incerteza do mercado. As estratégias são cada dia mais repensadas e temos criado soluções principalmente para vender, colocando produtos no mercado, criando campanhas, fortalecendo a marca e o comércio em geral.”

Importância do balanço financeiro para o gestor e empresa

Jarbas mencionou que os bancos avaliam o balanço financeiro das empresas, tendo uma série histórica de pelo menos três balanços para ter ideia da performance da instituição ao longo do tempo. Os bancos em geral concedem crédito e precificam o cliente em balanço, dessa forma uma empresa que tem uma situação financeira e econômica mais confortável paga um preço menor na comparação com empresas que têm o balanço mais fraco e que representam maior risco.

“A chance de sucesso no crédito quando se conhece a realidade de balanço é muito importante, a empresa pode negociar um preço mais competitivo se souber a força do balanço ou pode oferecer para o banco uma condição de tomada de crédito com maior chance de sucesso e com mais garantias se o balanço for fraco”, destacou Jarbas ao falar da importância do gestor financeiro dominar o balanço da sua empresa..

Crescimento da inadimplência

No início deste ano houveram relatos de que enfrentamos um período de alto consumo e alta liquidez que agora vem resultando no aumento também dos índices de inadimplência, Mauricio mencionou que por conta disso na Osklen ocorreram situações de liberação de crédito e o balanço financeiro dos clientes também tem sido aliado nessa situação, para acompanhar a situação do cliente no mercado, que respalda em uma política de liberação de crédito de acordo com balanço da empresa.

A empresa já vem realizando esse trabalho desde 2019 quando elaborou uma reestruturação do crédito para os clientes, o principal objetivo é ofertar o melhor em termos de produto e recebimento, sem deixar de prover o suporte necessário e manter o cliente abastecido com produtos.

Impactos da pandemia

Fazendo uma análise do cenário atual Jarbas elucidou que a pandemia gerou uma mudança comportamental de mercado, sendo alguns setores mais afetados e outros beneficiados. Turismo, aviação civil e hotelaria são setores que tiveram uma forte retração, outros setores como de alimentos e de construção civil estão super aquecidos devido a quantidade de pessoas em casa por conta do home office. Ele destacou ainda como o home office se mostrou uma grata descoberta, em que o mercado descobriu que é possível trabalhar em casa e até ganhar mais produtividade, sendo que futuramente poderemos migrar para o modelo híbrido já que o escritório ainda é um importante ambiente de interação e solução rápida.

Tratando de mercado financeiro, no ano passado o governo realizou várias operações de crédito para ajudar as empresas, frente aos déficits de caixa e queda de vendas que muitos setores enfrentaram. Além disso as empresas, em sua maioria, se reorganizaram e responderam rapidamente ao efeito da pandemia, sendo que o e-commerce trata-se de um exemplo, os que investiram nesse meio conseguiram equilibrar seu caixa e suas vendas. “Eu estou otimista com o cenário, diferente do ano passado onde só enxergávamos problemas e dificuldades, vejo que agora estamos no ponto em que é possível ver um horizonte bem mais positivo”, concluiu Jarbas.

A importância do negócio dentro da cadeia produtiva

Mirian levantou o ponto que médias e grandes empresas tiveram de adotar soluções que refletissem em toda a cadeia produtiva, pois se os clientes forem prejudicados por ações como redução de prazos, isso reflete na própria organização. “Esse olhar em cadeia foi bastante importante, ele nos levou a reflexões sobre pensar em conjunto, no contexto da pandemia, não apenas no aspecto social mas financeiro também”. 

“Manter a cadeia de suprimentos em pé, acho que esse foi um dos pilares que a gente teve como objetivo” destacou Mauricio sobre os esforços da Osklen para contribuir de forma positiva em relação aos parceiros de venda e contribuir no fortalecimento do mercado. Ele reforçou que foram realizadas ações em que houve limitação de crédito, entretanto a decisão foi tomada com base na natureza de operação do cliente, tamanho e o estudo de balanço financeiro, para garantir a tomada de decisão mais assertiva e acessível para todos os envolvidos. 

Aprendizados e boas práticas para a saúde do negócio

Jarbas iniciou a fala comentando que a gestão do crédito era uma questão que as empresas não realizavam com tanta precisão e a pandemia as forçou, esse se tornou um ponto de atenção devido a necessidade de preservar a saúde do caixa, e o crédito é a porta de entrada, especialmente durante os meses de março e abril de 2020 onde a incerteza era total, muitas empresas tiveram que olhar para esses pontos.

Citando exemplos, as empresas do setor de Santa Catarina tiveram uma queda de venda significativa no início da pandemia e só retomaram suas vendas em Junho quando a maioria começou a realizar investimentos no e-commerce para direcionar as vendas. Jarbas levantou tal exemplo para reforçar a importância do planejamento, as empresas tiveram de replanejar, reconfigurar sua produção e deixar o crédito mais acurado, tudo de forma muito ágil. “A pandemia obrigou as empresas a melhorar processos e redesenhar o negócio, e esse foi o grande fator positivo”.

Do mesmo modo, Mauricio acredita que as empresas foram obrigadas a agir de forma rápida e assertiva, e o home office foi um divisor de águas, gerando uma série de reflexões sobre a necessidade de custos de operação, o home office veio para reinventar o negócio e as decisões tomadas daqui para frente serão mais práticas. 

“Daqui para frente o mundo não será mais o mesmo, o Brasil não será o mesmo, os negócios não serão os mesmos… mas eu vejo como ponto positivo a velocidade na tomada de decisão, isso foi fundamental para que muitos negócios se mantivessem de pé e colaborassem com a economia. São aprendizados e lições, também erros que cometemos, de uma forma geral as empresas que se mantiveram obtiveram muitos mais acertos do que erros e seguirão firmes.” 

Para complementar os temas abordados, Mirian relembrou que o fluxo de caixa possui diversos mecanismos, como a gestão do crédito e do caixa aliados ao balanço patrimonial, reforçou a importância de conhecer a situação financeira do negócio e também dos clientes para saber o quanto investir nele liberando crédito ou qual é o momento de reter esse crédito para não comprometer sua saúde financeira, enfatizando o comprometimento com a cadeia como um todo e finalizou, “Eu gostaria de ressaltar aqui a questão do equilíbrio, buscar utilizar o caixa operacional não oneroso, uma forma é a terceirização do contas a receber que vai impactar diretamente nos prazos de recebimento e no capital de giro da empresa”.

Confira o webinar na íntegra clicando aqui.