FTE: entenda o que é Full Time Equivalent e calcule na sua empresa

O FTE, ou Full Time Equivalent, é uma das métricas mais seguras para avaliar a produtividade em empresas de todos os segmentos. Em setores de cobrança, saber o quanto cada operador produz é fundamental, em função da necessidade constante de otimizar o tempo.

Em ações de recuperação de ativos, talvez mais do que em qualquer outra atividade, a frase “tempo é dinheiro” faz todo sentido. Essa é uma razão mais que suficiente para justificar a adoção de mecanismos para saber o quanto cada colaborador produz.

No entanto, o cálculo do FTE serve para muitas outras finalidades, aplicáveis ao setor de RH estrategicamente. Para saber quais são e como utilizar essa métrica com precisão, vá em frente e não deixe de ler o artigo até o final. Você só tem a ganhar.

Os benefícios de calcular o FTE

Para que se aplique com mais propriedade o cálculo que mede o Full Time Equivalent, é importante saber que tipo de benefícios essa fórmula vai gerar para sua empresa.

O principal deles diz respeito a um componente nem sempre fácil de medir — a produtividade. Na indústria, por exemplo, uma série de fatores devem ser considerados antes de classificar um colaborador como produtivo. Afinal, em linhas de produção, nem sempre quantidade equivale a qualidade.

Um trabalhador que está presente 8 horas por dia e que produza 400 peças de uma mercadoria, sendo 30% delas abaixo dos padrões de qualidade, é produtivo? Ou pode-se dizer que um que produz 300 peças, mas com 20% de perdas, é mais eficiente?

Para saber, o cálculo do FTE é um ponto de partida recomendável. Isso porque a qualidade do que é produzido pode estar sendo afetada pela quantidade de horas efetivamente trabalhadas.

Em setores dedicados à cobrança, a demanda por tempo bem aproveitado é ainda mais elevada. Cada segundo desperdiçado em contatos malsucedidos ou em atividades que não sejam diretamente ligadas às funções geram efeitos deletérios nos resultados.

Por isso, é extremamente importante saber com precisão milimétrica quanto tempo seus profissionais de fato utilizam para o cumprimento de suas metas. E há outros aspectos a serem considerados, como veremos a seguir.

O impacto dos valores nos resultados

Imagine agora que você pretende aumentar a produtividade dos colaboradores em seu setor de cobrança, mas não tem uma métrica que mostre com clareza o que fazer. Sendo assim, o melhor jeito de saber é medindo o FTE da equipe atual, para que, a partir disso, você defina um novo parâmetro.

Considerando dessa forma, vamos aplicar o cálculo do Full Time Equivalent para o período de um ano, com uma jornada de 8 horas diárias. Nesse caso, a unidade de medida é de 1 FTE = 2.080 horas. Repare que essa base de cálculo pode ser ajustada para períodos semanais ou mensais.

Se preferir, faça o ajuste conforme o período de tempo que você deseja avaliar, sempre considerando o total de horas como 1 FTE.

Voltando ao nosso exemplo, o cálculo de horas trabalhadas no seu setor de cobrança mostrou que seus colaboradores somaram 13.450 horas efetivamente trabalhadas em um ano. Sendo assim, temos 13.450 / 2.080 = 6,46 FTE.

Agora, você tem uma referência precisa para começar a definir as mudanças a serem implementadas. Conhecendo o Full Time Equivalent, é possível tomar decisões mais ajustadas à sua realidade em relação a aspectos como:

Escolher o regime de contratação

Talvez a atual conjuntura em sua empresa esteja apontando para uma possível readequação da jornada de trabalho. Para isso, você poderá aplicar o FTE para tirar a prova dos nove.

Meça o FTE dos trabalhadores que operam a tempo integral e os de meio período e, em seguida, compare seus respectivos índices. O que apresentar FTE maior será o regime mais indicado.

Optar pelo trabalho terceirizado

Desde as mudanças nas leis trabalhistas, em 2017, entrou em pauta o valor real que o trabalho terceirizado gera para quem contrata. De um lado, há os que defendem a precarização da relação de trabalho. De outro, os que entendem que a terceirização agrega valor porque libera recursos e mão de obra para atividades mais ligadas ao core business.

Discussões à parte, uma forma muito mais precisa de saber se um trabalhador terceirizado realmente é mais vantajoso é calculando o seu Full Time Equivalent. Para isso, você precisará contar com apoio de outras empresas que possam ceder dados.

Assim, você poderá comparar com o que sua empresa tem produzido, desde que haja similaridade. Por exemplo, se o seu setor de cobrança tem 10 operadores trabalhando 8 horas por dia, é interessante que os dados que você buscar sejam de um setor com os mesmos números.

Esse é um procedimento válido, por exemplo, para empresas que têm mais de uma unidade, servindo para avaliar qual é a mais produtiva.

Medir a produtividade com novos recursos

Pode ser, ainda, que a produtividade de seu setor de cobrança esteja sendo afetada pela falta de recursos. Sendo assim, o FTE é uma métrica segura para avaliar com clareza se novos investimentos em equipamentos realmente fizeram a diferença.

Isso poderia ser feito para elevar o Full Time Equivalent do setor hipotético do segundo tópico. Dessa forma, o FTE é também útil como ferramenta para estipular metas de produção. Seu índice atual mostra 6,46 FTE? Então agora você pode determinar um novo indicador, a partir da aquisição de novos recursos para facilitar o trabalho da sua equipe.

Calcular o impacto no pagamento de encargos

No caso de novas contratações, é certo que, junto aos novos braços, vêm todos os encargos e obrigações trabalhistas. Depois do período de adaptação, caso eles não venham a produzir o que se espera, então o prejuízo é líquido e certo para seu setor de cobrança.

Isso porque o pagamento de encargos está diretamente ligado aos valores brutos pagos ao trabalhador. Em setores de cobrança que trabalham com horas extras, isso significa que todo tempo não aproveitado representa perdas em dobro. A empresa perde ao pagar por horas que não trouxeram resultados e, ainda, ao pagar os encargos em cima dessas horas.

Portanto, o Full Time Equivalent é a ferramenta mais adequada para que você promova mudanças realmente bem embasadas. Sejam novas contratações, terceirização ou para aumentar a produtividade da sua equipe atual, tenha nesse indicador um parâmetro seguro e confiável.

Além do FTE, conte com a Global para gerar resultados ainda melhores em suas ações de cobrança. Faça contato para saber como vamos ajudá-lo a produzir muito mais!



Deixe uma resposta