Gestão tributária: o que é preciso para torná-la estratégica?

De fato, uma boa gestão tributária é capaz de evitar gastos desnecessários e proporcionar a maximização dos lucros. É importante não confundir essa ferramenta com a sonegação de impostos, principalmente porque as estratégias utilizadas para a realização da gestão estão dentro da lei, podendo ser aplicadas por qualquer tipo de empresa.

Sendo assim, procurar investir nesse tipo de ferramenta é a melhor maneira de lidar com os impostos de forma correta e responsável.

Visando se aprofundar um pouco mais sobre o assunto — gestão tributária —, vamos discutir algumas das principais questões sobre essa atividade. Confira!

Qual é a importância da gestão tributária?

Durante a trajetória de qualquer empresa, os impostos são uma realidade constante. Aprender a lidar com eles, de forma que sua administração seja eficiente para não prejudicar os resultados da companhia não é uma escolha, mas sim uma necessidade.

Afinal, há vários tributos obrigatórios, como o PIS, IR, COFINS, entre outros; junte isso às obrigações acessórias e também às normas específicas para empreendimentos. Não há como lidar com todos esses processos sem um sistema de gestão, até porque, muitos deles lidam diretamente com o setor financeiro.

São despesas que fazem toda a diferença no final do mês. Um erro no cálculo pode custar recursos e até impedir que a empresa exerça as suas funções. Dessa forma, podemos dizer que a gestão tributária é fundamental para desenvolver estratégias de pagamentos das operações tributárias e fiscais de maneira a reduzir os custos desse setor e ajudar a trazer mais lucro para a companhia.

Ações para tornar a gestão tributária estratégica

Existem algumas medidas que podem ajudar a fazer com que a gestão tributária se torne mais estratégica. Aqui, separamos 5 delas para você conhecer. Confira!

1. Escolha do regime adequado

O regime tributário é uma das primeiras obrigações relacionadas ao sistema fiscal que o empresário tem contato. Ele é a diretriz que ajudará a indicar e a conduzir os tipos de tributos que devem ser pagos pelas empresas. Nesse caso, a administração não pode apenas escolher qualquer um, é preciso selecionar o mais adequado. Só assim, é possível implementar uma gestão eficiente.

Sendo assim, é importante saber que existem três tipos: lucro real, lucro presumido e o simples nacional. O critério de escolha depende de algumas características do empreendimento, como o limite de faturamento anual, os valores das alíquotas e o tipo de arrecadação.

2. Construção de um planejamento tributário

A construção de um planejamento consistirá em um processo importante para a gestão. Portanto, é bom saber que não existe apenas um tipo de planejamento tributário. De modo geral, são dois: estratégico e operacional.

Estratégico

Aqui, há uma análise mais aprofundada de todas as operações da empresa. Todos os processos devem ser avaliados a fim de diminuir a carga tributária. Nesse contexto, são definidas medidas e feitas análises que vão desde a aquisição das matérias-primas, produção até a entrega do produto final.

Operacional

Esse planejamento corresponde a uma ação mais básica, aquilo que já é definido pelas legislações e normas. Tanto em relação à tributação das operações como a forma de cálculo. Por isso, tende a não ser tão aprofundado quanto o estratégico, já que serve muito mais para auxiliar a equipe a determinar processos automáticos de gestão. Ele pode envolver diferentes áreas da empresa, como a contabilidade, o financeiro e até os profissionais de TI.

3. Realização de auditorias

As auditorias internas serão fundamentais no processo, não só de implementação da gestão tributária, como também para a sua permanência. Realizá-las periodicamente é uma forma de oferecer ao negócio a certeza de que seus procedimentos fiscais sejam feitos sem erros. Aqui é possível identificar falhas e assim evitar que a empresa tenha problemas com os órgãos fiscalizadores.

Com esse objetivo, é fundamental para o negócio ter um profissional especializado para realizar a auditoria com eficiência. Ele será capaz de avaliar questões como: o lançamento das notas físicas, o registro dos materiais no estoque, os tributos a serem pagos, quais são as obrigações fiscais e acessórias etc. Assim, a empresa consegue se precaver em relação aos erros, antes mesmo da Receita Federal.

4. Automatização dos processos

Hoje em dia, é muito difícil conseguir realizar certos processos de gestão sem utilizar a tecnologia. Nesse ponto, existem diferentes ferramentas que podem ajudar a empresa a atingir seus resultados de maneira rápida e sem falhas.

Para as questões fiscais e tributárias, procurar automatizar o máximo de ações é uma das melhores estratégias para implementar a gestão tributária. Logo, se faz importante o investimento em softwares para melhorar o desempenho da companhia.

A dica é utilizar um ERP ou um sistema integrado de gestão empresarial para ajudar a administrar os tributos. Com ele, é possível não só coletar e monitorar os dados financeiros e fiscais, mas também desenvolver relatórios automáticos, gerar notas fiscais e outros procedimentos fundamentais.

5. Incentivos fiscais

Os incentivos fiscais são mais uma demonstração de como é importante estar atento ao setor tributário. Afinal, conhecê-los é a chance de obter interessantes descontos em relação aos impostos cobrados pelo governo. Eles também são conhecidos como isenção ou redução das alíquotas e podem ser compensações. Medidas que ajudam a diminuir a carga tributária.

De maneira geral, eles foram criados pelo governo para estimular as atividades econômicas das empresas. São maneiras que a esfera federal, estadual ou municipal encontrou para incentivar os empreendimentos a crescer e, também, a gerar mais oportunidades.

Compreendê-los e utilizá-los é uma maneira de economizar nos tributos e de demonstrar uma gestão tributária eficiente.

Vimos neste post algumas das principais questões relacionadas à gestão tributária, entendendo a importância que a realização dessa atividade tem para o negócio. Ou seja, uma maneira de administrar as questões fiscais, manter a empresa na legalidade e também fazê-la economizar e melhorar seus lucros.

Além disso, pudemos acompanhar 5 medidas de como realizar uma gestão mais estratégica e que ajude o negócio a lidar de uma maneira eficiente com seus impostos.

Gostou do nosso texto sobre gestão tributária? Quer continuar aprendendo muito mais sobre os assuntos empresariais? Então, acesse agora o nosso texto sobre o que é ROI!



Deixe uma resposta