Negocie aqui

Whatsapp Whatsapp E-mail E-mail Ligue Ligue 0800 721 6001 Negocie online Negocie online 2ª via de boletos 2ª via de boletos

Governança corporativa: o que é e por que implementar na sua empresa


Governança corporativa: o que é e por que implementar na sua empresa

Governança corporativa parece um termo da moda, mas não é bem assim. O conceito surgiu como uma ferramenta para combater escândalos financeiros nos Estados Unidos e acabou se espalhando pelo mundo como instrumento de combate à corrupção e estabelecimento da ética e das boas práticas de gestão. Podemos dizer, então, que a governança é o modo correto de tomar uma decisão corporativa.

Porém, antes de usar a governança corporativa apenas como uma forma de evitar penalidades, é preciso vê-la como um novo jeito de desenvolver a cultura organizacional. Afinal, ao garantir processos transparentes na gestão, reduzem-se os riscos de, em algum momento, ser cometida alguma ilegalidade. Não se trata, assim, de evitar penalizações, mas, sim, de criar uma reputação ética e sustentável a longo prazo, independentemente do porte ou segmento do negócio.

Mas afinal, como implementar a governança corporativa em uma empresa? E quais são os benefícios que ela pode proporcionar? Siga com a gente e entenda tudo isso em detalhes!

O que é governança corporativa

Mais conhecida das grandes empresas, até por ser uma exigência das companhias de capital aberto presentes na Bolsa de Valores, a governança corporativa é o sistema de processos, regulamentos, políticas e leis que definem como um negócio é dirigido, monitorado e incentivado, envolvendo os relacionamentos entre os colaboradores, os sócios, os diretores e os seus órgãos de fiscalização interna e demais partes interessadas.

Ela tem princípios básicos cuja finalidade é preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo das empresas, facilitando o acesso a recursos e contribuindo para a qualidade da gestão, sua longevidade e o bem comum. Esses princípios podem ser adotados por qualquer tipo de negócio, independentemente do porte ou do segmento.

A preocupação da governança é criar um conjunto eficiente de mecanismos com o objetivo de assegurar que o comportamento dos administradores esteja sempre alinhado com o interesse da empresa. E, como falamos, é um pouco diferente conforme o tamanho da empresa.

As grandes corporações precisam criar uma estrutura específica de gestão, com conselhos e comitês formados por profissionais internos e externos (devidamente pagos para isso), ter uma auditoria independente e possuir uma hierarquia estabelecida de diretores. Já os pequenos e médios negócios não são obrigados a ter toda essa estrutura, mas os princípios básicos podem ser adaptados e seguidos, pois o importante é fazer uma gestão honesta, seguindo as legislações vigentes.

Os princípios da governança corporativa

A governança corporativa está baseada em quatro princípios básicos que, de maneira geral, funcionam como recomendações de como ela deve funcionar na prática. A adoção dessas práticas resulta em um clima de confiança tanto no ambiente interno quanto na relação da empresa com clientes e fornecedores.

Confira, então, os princípios básicos da governança corporativa:

  • Transparência: Consiste no desejo de disponibilizar para as partes interessadas as informações que sejam de seu interesse, não apenas aquelas impostas por disposições de leis ou regulamentos. Não deve restringir-se ao desempenho econômico-financeiro, contemplando também os demais fatores (inclusive intangíveis) que norteiam a ação gerencial e que conduzem à preservação e à otimização do valor da organização.
  • Equidade: Caracteriza-se pelo tratamento justo e isonômico de todos os sócios e demais partes interessadas (stakeholders), levando em consideração seus direitos, deveres, necessidades, interesses e expectativas.
  • Prestação de contas: Os agentes de governança (indivíduos e órgãos envolvidos no sistemas de governança, como sócios, administradores e auditores) devem prestar contas de sua atuação de modo claro, conciso, compreensível e tempestivo, assumindo integralmente as consequências de seus atos e omissões e atuando com diligência e responsabilidade no âmbito dos seus papéis.
  • Responsabilidade corporativa: Os agentes de governança devem zelar pela viabilidade econômico-financeira das organizações, reduzir as externalidades negativas de seus negócios e suas operações e aumentar as positivas, levando em consideração, no seu modelo de negócios, os diversos capitais (financeiro, manufaturado, intelectual, humano, social, ambiental, reputacional etc.) em curto, médio e longo prazos.

A partir dos princípios básicos, já é possível pensar na implementação da governança na empresa. Siga com a gente e veja como fazer isso de um modo simples e prático!

Como implementar a governança corporativa

Não existe uma lei ou um regulamento que apresente regras específicas sobre a forma correta de implementar a governança corporativa em uma empresa — isso depende de cada gestor. Uma das orientações mais usadas é o Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa.

Nele, há muita informação sobre o tema e também instruções sobre a melhor maneira de agir. Aqui, destacamos as principais medidas de maneira resumida. Acompanhe:

1 – Defina o organograma da empresa

Para funcionar, a governança precisa que a empresa seja organizada de forma hierárquica, por isso é fundamental que o organograma esteja muito claro, com todas as suas funções nomeadas. Cada colaborador, independentemente do cargo, precisa saber quem é o líder de cada setor, quem são as pessoas que respondem a ele e quem é o responsável pelos processos dentro dessa estrutura.

2 – Organize um conselho consultivo

O conselho consultivo é um órgão interno da empresa, constituído pelos colaboradores. O ideal é que seja formado por até cinco pessoas, garantindo a diversidade de opiniões e conhecimentos. O objetivo desse grupo de profissionais experientes e, de preferência com perfis distintos, é compartilhar sugestões para orientar as tomadas de decisão.

3 – Estabeleça um cronograma de reuniões

Como qualquer outra ferramenta de gestão, depois de estruturada, a governança corporativa deve ser colocada em prática. Então, faça um cronograma de reuniões periódicas para analisar e refletir sobre os processos e acompanhar os projetos em andamento. Não esqueça de registrar todos os encontros em ata, para garantir um melhor controle e transparência. Assim, ninguém corre o risco de esquecer um compromisso ou uma meta estabelecida.

A governança corporativa na Global

Aqui na Global, a governança corporativa está presente em nossos processos e relações internas e externas, garantindo a transparência e a responsabilidade da organização com nossos colaboradores, clientes, fornecedores, parceiros e, consequentemente, com toda a sociedade. Para reforçar nosso trabalho nesse sentido, temos uma área de Compliance dentro da empresa, responsável por cuidar das ações que envolvem este assunto.

Entre essas ações, está o nosso Código de Conduta, que é válido e necessário para todos os colaboradores da Global. Nele, estão orientações gerais de como pautar as atividades diárias em nossos valores, princípios éticos, além de requisitos legais e aplicáveis. Também faz parte das atividades de compliance o Canal de Denúncias, em que é possível denunciar um comportamento indevido envolvendo nossa marca de modo anônimo e seguro.

É por trabalharmos assim que garantimos a qualidade de nossos serviços, o que nos permite oferecer soluções financeiras qualificadas para a sua empresa!

E então, o que achou do artigo? Esperamos que tenha gostado de entender melhor a governança corporativa, um conceito tão abordado no dia a dia dos negócios e que rege nossas atividades aqui na Global também. Além disso, claro, esperamos que sirva de inspiração para o seu negócio!

 

Se você gostou do conteúdo deste post, aproveite para conhecer o nosso ecossistema de soluções!

Contamos com as melhores soluções financeiras para que você atinja os resultados esperados na sua empresa. Ou se já nos conhece, entre em contato com um especialista!