Como desenvolver a inteligência financeira na sua empresa?

De maneira geral, as empresas precisam de um grau de inteligência financeira para lidar com os seus rendimentos e despesas. Mesmo uma organização de grande porte deve saber gerir suas finanças se quiser continuar a manter o seu patrimônio, ou até se o plano é expandir para novos mercados. Sendo assim, essa é uma habilidade importantíssima para a gestão e deve ser desenvolvida quanto antes. 

Afinal, saber administrar os recursos pode ser a ação que faltava para que o negócio chegue ao sucesso. Contudo, a grande questão é que essa qualidade não é muito cobrada quando falamos de empreendimentos. Não é incomum encontrar empresários com problemas para lidar com suas contas, com dívidas e dificuldades para manter a produção. 

Para mostrar a importância da inteligência quando o assunto são finanças empresariais. Neste texto, vamos explicar o que é e como você pode desenvolvê-la. Entenda!

O que é inteligência financeira?

Basicamente, a inteligência pode ser descrita como a habilidade de obter conhecimento e conseguir colocá-lo em prática. Sendo assim, quando falamos da financeira, estamos nos referindo à capacidade de utilizar o dinheiro de forma eficiente. Sabendo exatamente o quanto pode gastar e investir para aumentar o patrimônio.

A gestão precisa ter essas informações e, mais que isso, ter estratégias para utilizar aquilo que a empresa gera. Dessa forma, será possível evitar dívidas, crises ou até que os recursos sejam desperdiçados. Além de poder utilizar parte de seus rendimentos em ações que vão fazer o negócio crescer.

Então, resumidamente, a inteligência financeira é uma forma de transformar os desejos financeiros em realidade. Para isso, três pilares são importantes: poupar, investir e planejar.

Qual é a importância da inteligência financeira para uma empresa?

Não podemos negar que o dinheiro é uma parte essencial do negócio, não só por ser um dos objetivos da empresa, mas também por manter a sua estrutura por meio do pagamento dos funcionários, auxílio na manutenção dos equipamentos, etc. Neste quesito, ter inteligência financeira para trabalhar aquilo que a companhia adquire é a melhor maneira de administrar essas condições e conseguir resultados.

Imagine uma empresa que está querendo trocar seu maquinário por equipamentos mais modernos. Se ela tem um bom planejamento e tem a tática de separar parte dos seus lucros para esse objetivo, ou seja, utiliza de forma inteligente. Ela provavelmente tem o suficiente para realizar essa meta.

Agora, caso a gestão esteja com muitas dívidas e não consiga produzir o suficiente, sem nenhuma organização e desperdiçando recursos com atividades que não trazem retorno. Não poderá realizar o seu desejo de se modernizar.

Sendo assim, uma empresa que utiliza a inteligência financeira é capaz de definir prioridades, utilizando aquilo que tem no presente, sem comprometer o futuro.

Como desenvolver o financeiro da sua empresa de forma inteligente?

Ao longo deste texto, você viu o que é e o porquê a inteligência financeira é importante. Agora, vamos mostrar algumas estratégias para que possa implementá-la em seu negócio. Vamos lá?

Conheça a sua empresa

As métricas, índices e outras informações a respeito do desempenho serão fundamentais para que a gestão utilize os seus recursos de forma inteligente. Além disso, saber como a empresa gasta o dinheiro, se há investimentos e se eles estão trazendo lucros, se há planos de ação para a cobrança, por exemplo, são dados que ajudarão a determinar como utilizar os rendimentos.

Como ferramentas para ajudar, uma boa planilha ou um software de gestão podem ser bem úteis. Não se esqueça de fazer o fluxo de caixa, ou seja, o registro das entradas e saídas. Isso auxiliará a manter o controle e também a saber em que o dinheiro é gasto.

Entenda o mercado

É fundamental estar atento aos movimentos do mercado para definir as estratégias de crescimento, principalmente, do setor da sua empresa. Por isso, é interessante conhecer os números que o segmento tem fornecido para a economia, quais são as companhias que mais têm lucratividade e quais são as suas estratégias nos negócios, entre outros.

Com esse intuito, a gestão deve se informar tanto em portais de notícias e sites especializados como em eventos específicos. É fundamental estar sempre se atualizando sobre as novidades de forma a ter material para a tomada de decisões. 

Defina metas de crescimento

As metas são um importante passo para qualquer negócio, elas ajudam a definir um norte para as ações da gestão. Além disso, determinam de que forma é possível atingi-las. Onde se pretende chegar? Essa é uma pergunta que será respondida por elas.

Por isso, é importante que a empresa tenha metas anuais e que a partir daí, determine quais são as próximas ações menores que serão cruciais para, ao longo do ano, chegar aos resultados.

Pense nas estratégias de controle

Ao saber como os rendimentos são distribuídos no negócio, a gestão tem material suficiente para criar estratégias para controlar a renda. Nesse passo, é interessante ter um capital de giro, a quantia mínima necessária para manter a empresa funcionando.

Além disso, fazer a provisão de devedores duvidosos, isto é, a antecipação em relação aos gastos gerados por clientes inadimplentes é uma boa estratégia. Com essas parcelaS devidamente separadas, os valores restantes podem ser divididos para investimentos e outras necessidades.

Também, tenha atenção para a organização do estoque, afinal, é uma parte que deve ser monitorada. Por exemplo, o excesso de produtos pode indicar que a empresa não está vendendo o suficiente, ou que está desperdiçando ao comprar mais que precisa.

Invista os lucros

O último passo para a implementação de atitudes mais inteligentes com as finanças é a alocação de recursos visando o crescimento. Aquilo que a empresa consegue não deve ficar parado. 

É importante ter planos de investimentos e, se possível, periodicamente utilizar parte do lucro para investir em melhorias. Dessa forma, consegue-se manter o negócio atualizado e se prevenir dos problemas estruturais que possam aparecer. 

Mostramos neste texto como a inteligência financeira é um divisor de águas para a organização dos rendimentos e as dívidas. Afinal, essa habilidade garante que a gestão possa desfrutar de tudo o que a empresa gera, em termos de lucros, de modo a manter os números do negócio sem prejudicar o crescimento. 

Este artigo foi útil para você? Então, continue aprendendo mais sobre gerência e outros processos empresariais. Assine a nossa newsletter!



Deixe uma resposta