Negocie aqui

Whatsapp Whatsapp E-mail E-mail Ligue Ligue 0800 721 6001 Negocie online Negocie online 2ª via de boletos 2ª via de boletos

IPCA 2022: por que e como acompanhar o indicador de preços? Entenda sua importância para a gestão do seu negócio


IPCA 2022: por que e como acompanhar o indicador de preços? Entenda sua importância para a gestão do seu negócio

Você provavelmente está sentindo o calor do temido dragão da inflação, seja na sua casa, seja na sua empresa. E não é só impressão sua: o IPCA 2022, que é considerado a inflação oficial do país, vem registrando números que retratam o aumento dos processos em toda a economia.

Por isso, vamos mostrar por que você deve acompanhar esse indicador do cenário econômico e de que forma fazer isso, além de reforçar a importância dele para a gestão do seu negócio. Boa leitura.

Afinal, o que é o IPCA?

IPCA é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Seu cálculo é feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE ,e retrata o aumento dos preços de produtos e serviços em todo o país.

Ele acompanha as variações nos custos de vida para a população que ganha entre 1 e 40 salários mínimos. Por isso, ele recebe a definição de amplo. Outros indicadores de inflação podem concentrar sua metodologia em públicos mais específicos. Um exemplo disso é o INPC (Índice de Preços ao Consumidor), também do IBGE, que concentra sua metodologia entre famílias que recebem entre 1 e 5 salários mínimos.

Qual a sua importância para a economia?

O IPCA é o indicador mais importante de acompanhamento da inflação no país. Além disso, ele recebe o nome de “inflação oficial”, uma vez que uma série de gastos públicos, salários e contratos são reajustados com base na variação desse número.

Com base no IPCA, é possível mensurar a quantas anda o aumento dos preços, por exemplo. Quanto mais alto for o IPCA, maior a velocidade da corrosão do poder de compra. Ou seja, o dinheiro na mão de todo mundo passa a valer menor.

O IPCA é tão importante que tem metas. Assim, o governo precisa atuar para mantê-lo dentro desse objetivo. Para 2022, o centro da meta é de 3,5% ao final do ano, com oscilação de 1,5% para cima ou para baixo.

Como está o IPCA 2022 até o momento?

Contudo, ultrapassado o mês de abril e já são grandes as chances de que a meta seja descumprida mais uma vez, assim como acontece em 2021. No ano passado, a inflação fechou com alta de 10,06%.

Nos 4 primeiros meses de 2022, o IPCA já soma alta de 4,29%, bem próximo do teto da meta. Na soma dos 12 meses anteriores, o aumento dos preços já atingiu 12,13%, a maior inflação para o período de 1 ano desde outubro de 2003.

Projeção do IPCA 2022 até o fim do ano

As perspectivas até final do ano não são muito melhores. Ainda que o aumento dos preços possa dar um alívio, eles não serão suficientes para reduzir de forma significativa o IPCA.

De acordo com os dados do final de abril do boletim Focus, que coleta as expectativas do mercado, a expectativa é de que o IPCA encerre 2022 com elevação de 7,89%, bem acima de meta estipulada pelo Banco Central.

Como o IPCA se relaciona com a taxa Selic?

A inflação e, por consequência, o IPCA têm relação quase direta com a taxa Selic, indicador que aponta os juros básicos da economia nacional. A explicação para essa ligação é simples.

Quando a inflação está alta (como no cenário atual), o Banco Central tem poucos instrumentos para controlar os preços. Na prática, um dos únicos disponíveis é alteração da política monetária por meio da elevação da Taxa Selic. Quando ela é elevada, a contratação de crédito no mercado fica mais cara, reduzindo a atividade econômica, desaquecendo a economia e ajudando no controle dos preços.

A taxa Selic é determinada pelo COPOM (Comitê de Política Monetária), um órgão do Banco Central. Em reuniões com intervalos de 45 dias, seus diretores avaliam a situação econômica e divulgam o novo número. No começo de maio, ela foi elevada para 12,75% ao ano, o maior nível desde 2017. Sem sinais de arrefecimento no IPCA, ela deve subir ainda mais nos próximos meses.

Como a alta dos preços afeta os negócios?

Um negócio sente a elevação do IPCA de diferentes formas. A primeira delas é com a elevação dos seus custos, que certamente já estão maiores. Apesar disso, nem sempre é possível repassar integralmente os aumentos sobre o preço dos produtos e serviços, sob o risco de perder consumidores.

Por falar em consumidores, com a inflação lá em cima, eles perdem poder de compra. Com isso, é normal que passem a consumir menos. Ou seja, seu negócio pode sofrer também com a desaceleração da economia e com clientes com menos dinheiro no bolso.

Por fim, com os juros elevados para conter a inflação, o crédito também fica mais caro. Desse modo, se sua empresa precisar de um empréstimo ou de uma linha de financiamento, as taxas cobradas serão maiores.

O que fazer para acompanhar o IPCA 2022?

O IPCA é divulgado sempre no começo do mês pelo IBGE, com o número que indica a inflação medida nos 30 dias do mês anterior. A informação sempre vira notícia em praticamente todos os veículos de comunicação, então, não é difícil acompanhar a evolução do índice.

Quais ativos são boas opções para diversificar os investimentos da empresa?

Em meio ao aumento da inflação, quem administra os investimentos de uma empresa tem algumas opções para proteger o capital do negócio da corrosão do poder de compra gerado pela elevação dos preços.

Geralmente, a principal recomendação é fugir de aplicações cujo rendimento seja menor que a inflação, já que isso significa que ao final do período seu dinheiro estará valendo menos.

Nesses casos, investimentos em renda fixa pós-fixados atrelados ao IPCA ao menos preservam o poder de compra, uma vez que a rentabilidade será calculada com base na oscilação do índice. Algumas opções oferecem também uma parte prefixada, somada à inflação do período.

Como você viu, as projeções para o IPCA 2022 não são muito animadoras. Logo, é fundamental absorver de que forma isso afeta sua empresa, para adotar o melhor planejamento possível, sempre na expectativa pela calmaria nos preços.

Quer ajudar seus amigos a lidar com a entender o impacto da inflação? Então compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais agora mesmo.