5 métricas para medir o desempenho da sua equipe em home office!

A chegada do coronavírus no Brasil e a expansão da doença causada por ele desde meados de março obrigou muitas empresas a adaptarem suas atividades para que elas pudessem ser desenvolvidas de forma remota, principalmente via home office.

Contudo, para que essa transição seja feita de maneira eficiente e sem perda de produtividade, é necessário ter uma gestão de equipe bem estruturada, o que inclui contar com métodos para medir o desempenho de cada colaborador ao longo desse período.

Pensando nisso, apontamos neste conteúdo algumas métricas que sua empresa deve acompanhar para ter bons resultados. Boa leitura e bom trabalho remoto!

1. Atingimento de metas

Diante das circunstâncias, talvez faça ainda mais sentido acompanhar o desempenho da equipe por meio do atingimento de metas e não apenas pelo tempo de trabalho em si, o que é comum quando temos que nos deslocar até o local de trabalho e bater ponto, como era costume antes da pandemia.

Para o indicador surtir o efeito esperado, é essencial, antes de tudo, alinhar e planejar as atividades que serão desenvolvidas. Isso ajuda a definir principalmente quais tarefas devem ser consideradas prioritárias e também a carga de demanda sobre os colaboradores, o que ajuda na adaptação a este momento tão complicado.

Uma boa meta deve ser específica, mensurável, alcançável, realista e baseada no tempo. Essas orientações vêm do chamado método SMART (sigla em inglês que indica cada uma dessas características), que contribui bastante em orientar cada um dos encarregados das tarefas.

O trabalho remoto reforça a necessidade do acompanhamento dessas tarefas, para que eventuais revisões sejam feitas no desenvolvimento das atividades naquele período.

Vale lembrar que esses acompanhamentos não devem ser feitos visando punir quem estiver aquém do esperado, mas sim entender quais fatores estão levando a essa deficiência no desempenho e ao não cumprimento das metas.

Com isso, esse acompanhamento das tarefas deve estar sempre acompanhado de feedbacks que indiquem os pontos positivos e negativos do desempenho de cada um. Isso fornece subsídios para que haja melhoria no trabalho desenvolvido.

Por fim, vale ressaltar a importância de ter as ferramentas necessárias para conseguir acompanhar as tarefas que estão sendo desenvolvidas e reforçar a comunicação entre a equipe. Plataformas como o Slack e o Trello podem se mostrar bastante interessantes nesse contexto.

2. Tempo gasto por tarefa

Acompanhar o tempo despendido por tarefa é útil para saber como anda o desempenho de cada colaborador e entender o que pode ser feito para que a produtividade desejada seja alcançada, mesmo no período de adaptação para o regime de trabalho em home office.

Um dos meios de obter esse indicador são os mecanismos que contabilizam as horas trabalhadas em cada tarefa. Um dos mais indicados são as timesheets, também chamadas de folhas de horas trabalhadas.

Com esses dados em mãos, é possível estimar a produtividade de cada um dos colaboradores, o ajuda na tomada de decisão por parte dos supervisores e evita atrasos na entrega das demandas existentes, sem que isso sobrecarregue ninguém, proporcionando um planejamento mais eficaz.

Conhecer o tempo gasto em cada tarefa também evita um erro comum no trabalho em home office: achar que todo mundo está disponível o tempo todo. Não ter esse cuidado prejudica o bom convívio entre todos e atrapalha bastante a rotina de trabalho.

3. Nível da qualidade das entregas

Não é porque o trabalho é feito de casa que sua qualidade ficará aquém do esperado. É importante confiar na equipe, ao mesmo tempo em que é necessário implementar formas de definir o nível de qualidade das entregas feitas por todos os envolvidos. Também, isso reforça a necessidade de não focar apenas a quantidade de tarefas finalizadas.

Para isso, defina de que forma serão feitas essas avaliações, incluindo quem serão os responsáveis por elas, quais indicadores de qualidade serão acompanhados e quais ferramentas vão ser empregadas nessas avaliações.

Por fim, indique com clareza os padrões mínimos de qualidade esperados em cada uma das atividades entregues, tendo como referência não apenas parâmetros internos, mas também a concorrência.

4. Receita por colaborador

A receita por colaborador é uma métrica simples e direta para estimar como anda o desempenho de cada um dos colaboradores e o quanto os recursos humanos estão impactando as despesas da empresa.

Calcular a receita por colaborador não é difícil. Pegue o faturamento da empresa em determinado período e divida-o pelo número de colaboradores que atuaram para alcançar tal valor.

É importante não avaliar esse indicador de forma isolada. Ele deve ser verificado levando em conta o momento atual do mercado e analisado junto com outras métricas de desempenho.

5. Pesquisas de satisfação

As pesquisas de satisfação têm o aspecto curioso de poderem ser usadas tanto para estimar a satisfação dos clientes com a experiência oferecida quanto para dimensionar como os colaboradores se sentem em relação ao ambiente de trabalho. Ainda que esses fatores sejam subjetivos, acompanhá-los é essencial.

Quanto à experiência do cliente, vale ficar de olho nos efeitos que a pandemia pode ter tido na satisfação deles com o seu negócio. Mesmo trabalhando remotamente, é importante manter uma qualidade elevada.

Internamente, é preciso cuidar também da satisfação dos funcionários, o que envolve entender como eles percebem questões como remuneração, plano de benefícios e demais condições de trabalho.

Colaboradores engajados tendem a ter um maior comprometimento e a ser mais produtivos, aumentando o potencial de se alcançar bons resultados no negócio.

Pode haver certa reticência sobre como o home office forçado afetará a produtividade dos colaboradores. No entanto, tal preocupação costuma ficar de lado quando há uma gestão eficiente. Com isso, é possível até mesmo melhorar o desempenho da equipe durante esse período e tornar o home office uma opção viável para o pós-pandemia.

Para que isso se concretize, é importante conhecer as melhores métricas e indicadores e adotá-los de forma sistemática para medir o desempenho de cada setor do negócio. Assim, sua empresa tende a se tornar mais competitiva mesmo num período de incertezas.

O que seu negócio está fazendo para acompanhar o desempenho durante o home office? Conte sua experiência deixando um comentário.



Deixe uma resposta