Onde está a felicidade?

Nesse “novo mundo” exponencial, temos observado um número crescente de pessoas insatisfeitas buscando algo que muitas vezes não faz ideia. E, é esta situação que encontramos interferindo diretamente no mundo do trabalho.

Mas afinal, quais são as nossas reais necessidades? Novos processos, novos projetos, novas tecnologias… e, por que não simplificar? 

Talvez estejamos precisando de menos para encontrar a tão desejada felicidade.

Estamos perdendo a conexão com o humano!
Quantos e-mails nos separam de um diálogo?
Quantos WhatsApps nos separam de um olhar?
Quantas “paredes” nos separam de um abraço?
Quantas posições hierárquicas nos separam de uma relação?
Quantos julgamentos nos separam da realidade?
Então, por onde começar?

Comece pelo simples – o menos pode ser mais: um olá, um olhar, uma conversa empática… demonstre interesse verdadeiro pelo outro.

Pequenas ações internas podem transformar o dia a dia das organizações: criar ambientes descontraídos, proporcionar ações em datas comemorativas, comemorar o aniversário, realizar jogos internos, celebrar as conquistas…

Está comprovado cientificamente que nosso organismo necessita de serotonina para gerar bem-estar e felicidade, e são nossas condutas e atitudes que contribuem para esse estado.

Conforme estudo do Dr. Juan Hitzig nossas condutas mobilizam nossos hormônios que irão impactar em trilhões de células de nosso organismo.

As condutas S, produzem a serotonina: Serenidade, Silêncio, Sorriso, Sono – estas nos geram atitudes A: Amor, Apreço, Amizade, Alegria…

As condutas R, aumentam nossos níveis de cortisol: Ressentimento, Raiva, Rancor, Resistência – estas nos geram atitudes D: Depressão, Dor, Desânimo…

Após esses pequenos insights, quero lhe provocar trazendo um questionamento: o que é felicidade para você?

Por dias cada vez mais saudáveis e felizes! Tudo começa através de uma ATITUDE!

Comece simples, comece com você!

Mariane Nicoloso
Gerente de RH



Deixe uma resposta